quinta-feira, novembro 01, 2007

Stabat Mater


Rossini Hits acabou, pelo menos as apresentações previstas, talvez hajam mais, nossas roupas e adereços ficaram por lá para serem lavados e costurados. Foi uma experiência gostosa, cheia de gente nova e como sempre o pessoal do Canto em Cena, deu a voz, deu seu tempo, seu corpo. Afinal 2 meses para ensaio de música operística, para quem está acostumado a cantar música popular não é fácil. Mas chegamos lá. Levei umas broncas, porque realmente algumas vezes meu pensamento voou, e como é ruim levar puxada de orelha, dá uma vergonha e parece que fica um fantasminha do seu lado, dizendo, cuidado aqui, cuidado lá, estão te olhando. Confesso tenho que saber lidar com isso.
Stabat Mater a última música que cantávamos valia por todas as outras, para mim a mais bela e tocante do espetáculo. Ah, esqueci de contar, minha mãe pela primeira vez foi me assistir, perninha balançando, porque afinal para quem está acostumada a dormir às 9h da noite ter que ficar quase 2 horas sentada, ouvindo uma música que não se entende, num tipo de voz digamos "diferente" e ainda por cima ter que ouvir essa "gataiada", termo para o dueto de gatas de Rossini. Coitada, um sacrifício pela filha. Assim como uma outra moça do grupo que disse que o pai olhou 3 vezes para o relógio em Stabat Mater, se o pai, faz isso, imagina as outras pessoas, enfim muitos anos de terapia para se colocar essas coisas no lugar.(rs).
Agora, recomeçaremos outra maratona da ópera ao rock, já temos apresentação marcada, Agora ROCK IN VOICE, Queen, Beatles e tantos outros à Capella.
Me parece que será uma experiência gostosa e interessante, rock sem guitarra e elétricos acho que dá caldo...(rs).
A foto sou eu, perdida entre "papéis", na verdade meus lencinhos de chorona.(rs). Por que chorona? Não foi ver? Então perdeu....

Um comentário:

Cleu Sampaio disse...

Pois é, e eu reclamenta que sou fui e não me arrependi. Tava lindo. Parabéns mais uma vez, minha linda.