sábado, novembro 17, 2007

Cada dia

Semente minha,
Agora não estou só,
Nem você, nem eu

Posso olhar pra tudo que sou
E ver você,
Tão pequeno, tão doce, tão frágil

Bate no mesmo compasso
Que eu,
Esperas,
Enquanto eu te espero

Sonho e penso no mundo
Que irás encontrar
O mundo que meus olhos
Minhas mãos
E minha boca irá
Te mostrar,

Que meu coração,
Possa ser forte
Pra bater
Em compasso leve.
E que o cheiro suave
Seja sempre
Amor, Amor.

7 comentários:

£¡ä ® disse...

Que lindo... de quem é?

Cris disse...

De quem é o pretenso poeminha? é meu...para um pequenino que stá em mim

Cleu Sampaio disse...

A Eli tem razão, está lindo. Por sinal, Eliane, agora você já sabe quem é a minha "amiga mamãe" :-)

Cris disse...

Sabe vocês duas são umas fofoletes lindas, vocês se lembram das fofoletes, fão fofinhas!!!
Beijin

Kisy disse...

Poema singelo para outro, puro e em formação.

Cris, que coisa linda esse poema.

Vai virar música hein?? Hehehe

Um beijo dona mulher. :-)

Cris disse...

Oi Cris,

quem sabe né, quem sabe um musico bom como esse pode botar música...
Beijin,
Cris

Cris disse...

Corrigindo, como ocê , Cris Kysi