segunda-feira, novembro 12, 2007

Das viagens! Porto Alegre



Deu Pra ti
Baixo Astral
Vou pra Porto Alegre, tchau! (Cleyton e Cledir)
Minha viagem ao Sul foi uma das mais surpreendentes. Fui de carro, sem pressa, meio sem destino. Passei por Curitiba, que já conhecia, mas sempre se acha algo novo pra se conhecer.Florianópolis, paraíso na terra. Laguna, cidade de Anita Garibaldi, cidade pequena, praiana, essa uma surpresa, dá vontade de ficar pra sempre. Torres, cidade movimentada, cheia de gringos, Argentinos, Paraguaios, etc. Aqui, fiz questão de ir conhecer os canyons. Aqueles da abertura da novela "A casa das sete mulheres". conheci um pesoal bem legal, gaúchos tche, pude tomar muito chimarrão e que delícia, pessoal de coração aberto, todos de Porto Alegre, recebendo os paulistas. Seguir em frente, o branco escritório, já estava bem longe, agora o destino: Porto Alegre.
Bom, chegar em Porto Alegre depois de tantos dias na praia, debaixo de um calor de 40° graus que mais parecia 50°, sem lugar ainda direito pra ficar, me senti chegando à são Paulo. Meu primeiro pensamento: "Não credito, voltei pra São Paulo". Centro de Porto, gente correndo, mas claro que tem suas diferenças, um pouco mais organizado e claro, a correria não é a mesma de São Paulo.
Sou apaixonada por Erico Verissimo e poder identificar nas ruas cada pedacinho que Erico conta em sua obra, foi coisa de deslumbramento, A redação do Correio do Povo, a Livraria O Globo, o Clube Comercial, ai Erico, você com suas palavras desenha perfeitamente o mundo.
Depois de devidamente acomodados no centro, próximo ao Mercado Municipal de Porto Alegre e de sua prefeitura, fomos a um Museu que realizava uma exposição que se chamava o Sobrado, uma réplica do Sobrado de O Tempo e o Vento. Maravilhosa.
Bom, todos nos diziam, indo à Porto Alegre, não deixe de ir ver o Pôr do Sol do Rio Guaíba, 5 da tarde, vamos nós seguindo as avenidas à pé, rumo ao Rio Guaíba. Chegamos lá, alguns sentados, um lugar comum, um rio. etc. Começamos a andar pela orla do rio, lá tem pistas de cooper, seria como o nosso Ibirapuera. Vamos indo, mas pensando, cadê o que se tem de lindo aqui? ai, ai... a tarde vai caindo, e o quadro vai se pintando e como que mágico, tudo vai se silenciando, nos sentamos nas pedras e sol foi se pondo, devagarzinho, soltando no céu o fogo, indo, partindo, parecia que tudo havia parado naquele momento. Erico tinha razão o pôr do sol do Rio Guaíba é o melhor do mundo, neste dia podemos comer no restaurante em frente ao mercado as 23h. Quem sabe um dia aqui em São Paulo também poderemos.
Dia seguinte, quis ir logo para a Casa de Cultura Mário Quintana, antigo Hotel Majestic, um lugar de arquitetura maravilhosa, cada andar de uma organização primorosa, e lá está, a réplica do quarto em que morou Mário Quintana. Sua cama, seus livros, seus escritos, seus cigarros. Mário Quintana, morou ali muitos anos, graças a generosidade do jogador Falcão. Sim, hoje se fala do seu grande talento, mas infelizmente não teve dinheiro pra honrar esse talento. Temos hoje a casa de Cultura que seja uma grande homenagem. Mário Quintana foi indicado várias vezes para a Academia, mas não conseguiu chegar lá.
Há em especial um cantinho bem legal na Casa de Cultura que pra mim foi uma surpresa, um cantinho de Elis Regina, com várias peças de roupas antigas da cantora, cd's que se pode ouvir tranquilamente.
Enfim, Porto Alegre foi um encontro. Foi uma surpresa!

2 comentários:

£¡ä ® disse...

Laguna conheço bem. Terra de Anita Garibaldi, de Otacilio Costa e Geni Botelho - meus falecidos avós.
Eu ainda quero fazer um tour pelo sul e ver algumas coisas que você viu. Que viagem boa, virou história pra se contar depois, hein!
beijinhos

Cris disse...

Delícia de cidade Laguna, sua tranquilidade, suas praias, eu até pensei em ir morar lá, c~e acredita? Agora o que mais nos chamou a atenção é os restaurantes no centro, fechados para almoço...(rs)...