quinta-feira, setembro 15, 2005

Cada um é para o que nasce

Parafraseando um filme brasileiro, realmente cada um é para o que nasce.
Ontem foi um dia de grande emoção e aprendizado. Pra alma e pra vida.
Tive o privilégio de ouvir ao vivo bem de pertinho uma das grandes intérpretes da nossa música brasileira: Mônica Salmaso.
Pessoa de uma simpatia, de simplicidade e mesmo estando rouca que voz!! Abriu a boca e a voz saiu leve, solta!
Que privilégio! Deus e paro e fico pensando: como tenho tido experiências maravilhosas e quase inimagináveis de acontecer no SESC desde que comecei a fazer aulas de canto. Conheci Carlos Fernando, cantor de jazz, que já tinha ouvido falar no Nouvelle Cousine na minha dolescência, depois Antônio Nóbrega, ( eu de boca aberta), Workshop com André do Barbatuques, aprendizado com André Abujamra, cantoria na Ópera O Meio do Mundo (ser assistida pelo pai Antonio Abujamra) e agora a Mônica. São muitos presentes!é muita coisa boa!
Esse poder de cnatar e emocionar, de onde vem essa magia? Cada um para o que nasce!
Que seja pra fazer feliz os outros de alguma forma o meu viver também!

Um comentário:

Alê disse...

Puxa Cris... deve ter sido de-mais!
Ontem dei uma olhadinha em vocês quando saí da minha aula.
Estou louca para assistir a apresentação! Vai ser linda!