quarta-feira, fevereiro 20, 2008

Noite...

É noite,
E parece-me que o silêncio da casa,
A chuva que vai caindo lá fora,
Estar só e tão comigo,
Que as palavras gritam dentro de mim

Qualquer pequena areia
Que entre, corpo estranho,
É motivo pra me trazer as lágrimas

Não que não goste deste silêncio
De ter esses encontros nada marcados,
Mas só que a dor, sempre espera passar
E não saber quem é essa visita,
De onde vem e por que vem
Ah, isso, desespera.

Ao mesmo tempo, na escuridão,
Espero o outro dia
Ter que repetir e repetir
E não querer e ter
Ah, enlouquece

Dá vontade, de aprontar
De burlar,
De perder a hora,
De descabelar, de endoidecer,
Nem que seja de mentira,
Dizer, pro Doutor
"Me dá uns dois dias"
Mas esse tempo,
Ah, é só um pretexto
Pra não me encarar
E dizer pra todo mundo
Tô de saco cheio....!!!!

Um comentário:

Luquete disse...

Oi afiada!
Então, por aqui as coisas ainda estão tranquilas, eu to pegandoleve, mas a tendência é piorar, heheheh.
E por aí?
Aproveitem os últimos dias de sol para descer a serra.